A pandemia do novo Corona Vírus alterou bruscamente a rotina das escolas de todo o país e professores tentam se adaptar ao novo formato das aulas.  As dificuldades são muitas: lidar com as novas tecnologias, computadores e equipamentos de filmagem obsoletos ou a ausência deles, acesso à internet limitado por parte de alguns alunos e a falta do contato direto com os discentes são apontados como maiores desafios no trabalho nas escolas neste período de isolamento social. M uitas escolas ainda estão se adaptando à nova realidade de ensinar à distância e de uma hora para a outra, as aulas presenciais precisaram ser substituídas para a modalidade de ensino à distância (EAD) e os desafios dessa transição temporária são imensos. Cada uma, com certeza, fazendo o melhor que pode. P rofessores que não têm prática em gravar suas aulas, a nova forma de ensinar tem gerado uma insegurança na transmissão do conteúdo, em ser atrativo para os estudantes e se eles irão aprender o conteúdo. Quanto às avaliações, nem se fala. Não dá para pensar no EAD como se fosse a aula presencial. No EAD, os professores não podem dar aulas expositivas de uma hora, por exemplo. Existem motivações ativas para atrair a atenção dos alunos, propondo questionamentos, desafios, trabalhos em grupo, fazendo as crianças se organizarem por projetos …   O aluno presencial já não aguenta mais esse modelo expositivo, imagina à distância. O estudante de hoje quer construir seu conhecimento, é protagonista do processo de ensino aprendizagem. E os professores precisam ensinar com criatividade, inovação, bom senso, precisam se comportar como mediadores e não como expositores de conhecimento. As escolas devem aproveitar este momento de crise para fazer diferente, para unir disciplinas propondo questões interdisciplinares. É o momento de estimular essa juventude a pensar " fora da caixa". P ara os alunos o grande desafio é aprender a gerenciar o tempo dentro de casa e ter disciplina para estudar no modelo EaD. Tudo isso no contexto de extrema ansiedade por estarem confinados em casa, longe dos amigos e professores e vivendo no contexto de uma doença ainda misteriosa. E para os pais? Da noite para o dia viraram também  professores de seus filhos. Muitos têm que acompanhar as aulas para ajudar nas tarefas escolares. Isso, sem levar em conta que precisam conciliar o home office com este auxílio pedagógico. Não é nada fácil e o desgaste desta relação (pais/filhos) por vezes se aflora. Solução imediata para todos estes problemas ainda não há. Até que as aulas presenciais retornem cada família deve buscar alternativas que evitem conflitos e dialogar para chegar a um consenso. A minha dica aqui e que vem dando certo na minha casa é : NÃO SAIA DA ROTINA QUE JÁ FAZIA PARTE DA SUA VIDA. Sim, ter os mesmos horários para acordar, estudar, almoçar, fazer o para casa , divertir e dormir; são essenciais para o bom funcionamento das tarefas. Ter disciplina não é algo fácil e neste novo cenário ela se fez mais necessária do que nunca. Vamos torcer juntos para que tudo fique bem logo!   Abraços, Ana Cristina ( Proprietária da Villa Bambini)
29/07/2020
Uma semana um frio danado e na outra o sol já brilha com mais intensidade. E agora, o que fazer? A cena é comum em muitas cidades: saímos de casa pela manhã para o trabalho, com roupas leves, e no fim do dia voltamos passando frio. As mudanças bruscas de temperatura podem ocorrer a qualquer momento, mas são mais propícias nessa época do ano. Infelizmente, nosso corpo sente mais do que a sensação de frio quando não está bem agasalhado. Essa condição pode desencadear alergias, resfriados e baixar a imunidade. Crianças e idosos, mais sensíveis, sentem ainda mais os efeitos dessas alterações climáticas. Será que é possível se prevenir? A chegada do inverno potencializa uma série de condições de saúde, especialmente relacionadas a problemas respiratórios, viroses, alergias e problemas cardíacos. Além disso, estamos vivendo o Covid 19, uma doença ainda desconhecida, mas com muitas vítimas fatais. COMO SE PREVINIR? Beba muita água Em dias frios temos a tendência de nos hidratar com menor intensidade. Isso é um grande erro, especialmente se o clima estiver seco. Beber no mínimo 2 litros de água é essencial! Faça ajustes na alimentação No inverno precisamos de mais energia para manter as funções vitais do organismo. Por isso, é necessário fazer ajustes na alimentação. Alimentos que aceleram o metabolismo e opções mais calóricas são as melhores escolhas. Apenas tome cuidado para não abusar de alimentos gordurosos e prejudicar a saúde. Areje os ambientes Em dias frios temos menos vontade de abrir as janelas . Manter a casa fechada impede a circulação de ar, o que favorece a proliferação dos vírus, fungos e bactérias. Portanto, por mais que esteja frio, deixe o ar circular. Lave as roupas de inverno Quando a temperatura cai chega a hora de resgatar os casacos do armário. Porém, depois de muito tempo sem uso, eles podem estar mofados e, o simples fato de vesti-los pode causar alergias. Sendo assim, aproveite esse período para lavar as roupas ou colocá-las no sol antes de utilizá-las. Aposte em roupas confortáveis Atualmente existem muitos tecidos que aquecem sem serem totalmente sintéticos. Assim como no verão, uma boa aposta são roupas confortáveis que permitem a transpiração. Os conjuntos de moletons forrados são um ótimo exemplo disso.  
09/06/2020
Assine nossa Newsletter
© Copyright 2020 | Villa Bambini - Todos os direitos reservados